Sunday, June 27, 2004

Baía vs Ricardo

A questão do momento: houve perseguição ao guarda-redes Ricardo? Claro que sim; uma perseguição implacável, que dura desde o Mundial'2002 e ganhou fôlego nas últimas 48 horas. Querem que ele seja melhor do que Vítor Baía à força. Ricardo joga o Europeu por ele e por muitas outras almas que têm a sanidade mental dependente dessa premissa. Com tanta gente na baliza portuguesa, até me surpreende que Portugal tenha sofrido três golos, quase tanto como me impressiona a goleada que Baía levou sem ter posto os pés na relva.

Para além de todas as grandes defesas que não fez no Euro'2004, Baía viu a carreira comprometida por alguns dos acontecimentos recentes que negligenciou: sim, tem mais um ou dois títulos que Ricardo (26 para ser exacto), mas contribuiu para eles com algum golo, um só para amostra? Não. Derrota por KO técnico. Como se fartaram de invocar os vencedores nestes últimos dias, é bem visto parar por aqui a campanha anti-Baía que Ricardo tem vindo a suportar com a dignidade de um mártir.

Defendeu um penálti e marcou outro: que mais precisa um homem de fazer para provar que é o melhor guarda-redes português? Arranjar um abaixo-assinado? Nem seria má ideia, se, ao menos, as pessoas se abstivessem de escrever, por cima das assinaturas, dúzias de comentários completos dando conta da natural repugnância que sentem pela opinião inadmissível dos outros, coisa e tal. Demasiado papel, já muito perto do desastre ecológico e ainda por cima desnecessário. Os partidários de Ricardo têm razão: é tempo de acabar com as referências a Baía. Fico à espera que passem da teoria à prática.

José Manuel Ribeiro